Sexta-feira, 30.01.09

"Weatherman", onde páras tu?

 

(Sub7even - Weatherman)

 

"I'm just the weatherman
I make the sun and rain and the colourful rainbow
I am a lucky man
I can freeze my pain if I feel that way"

 

 

Se este homem existir... façam-no chegar a mim. Mas digam-lhe que dispenso a chuva.

 

Contem-lhe apenas que sinto falta do sol e das cores. De rostos alegres e de gargalhadas sonoras. De afectos  e de sentimentos genuínos. De palavras encorajadoras e de silêncios cúmplices. 

 

A chuva, o cinzento e o preto... já me fizeram refém. Preciso que me libertem... Que me façam acreditar que as intempéries são passageiras e que atrás de uma nuvem negra existe mesmo um sol que apenas repousa...

 

 

 

publicado por Teia d´Aranha às 11:02 | Comentar | Ver comentários (12)
Terça-feira, 27.01.09

O que eu gosto de cultura!

 

Não tenho culpa de ser uma "gaija" altamente selectiva em termos de programas televisivos... Só assisto aos da RTP2. E à terça-feira, à noite, não é excepção. Vá-se lá saber porquê...

 

 

Há programas que me deixam doentes... E outros com vontade de ficar doente...  

 

Oh, doctor, doctor, write me a prescription...

 

 

publicado por Teia d´Aranha às 23:57 | Comentar | Ver comentários (46)
Domingo, 25.01.09

Impropérios, despautérios... e outras coisas acabadas em -érios, mas de que não me lembro agora

 

Avisam-se os estimados leitores que, a partir de hoje, este blog passará a contar com uma nova rubrica, cujo nome figura no título deste post. 

 

 

Impropério:acusação ultrajante, censura áspera.

 

Despautério: grande tolice, disparate enorme.

 

 

Sim, eu sei que os disparates no blog são já uma constante e que a censura áspera também tem marcado presença, mas apeteceu-me ter um cantinho reservado só para isso. Mania das arrumações, estão a ver?

 

Mas hoje queria pedir-vos que a inauguração da rubrica fosse feita por vós (sim, por ti... que neste preciso momento estás a devorar cada uma destas palavras!).

Que os disparates, as acusações sejam vossos! Que nos comentários revelem disparates que já tenham feito, que partilhem aquilo que vos irrita, que vos dá aquela vontade de ir às trombas deste ou daquela, que acusem quem vos apetecer (o patrão, o/a vizinha, a sogra ou o sogra, a/o amante, o marido ou a esposa, o/a ex, o cão ou a cadela... e o diabo a sete...).

 

Come on... give me your best shot!

 

 

 

publicado por Teia d´Aranha às 21:47 | Comentar | Ver comentários (56)
Segunda-feira, 19.01.09

Amor à primeira vista

 

Coup de foudre.

 Love at first sight.

 

Há os cépticos. Os que não acreditam. Os que nunca sentiram.

Há os crentes. Os que juram que existe. Os que já o viveram.

 

Chamar-lhe "Amor" corre o risco de ser exagerado, digo eu. Talvez por isso, eu prefira a expressão em francês, por não utilizar a palavra "Amour", mas antes o termo "Coup"... Como se de uma "pancada" se tratasse. 

Uma pancada que nos atinge, vinda não se sabe donde e que nos deixa atordoados.

Uma forte ligação ou comunhão que se estabelece, mas cuja origem desconhecemos.

 

E o desconhecido assusta e suscita muitas dúvidas. E a opção de muitos é não ir ao seu encontro e renegá-lo.

Mas há o reverso da medalha... quando o desconhecido nos atrai e nos atiça a curiosidade. E aí, optamos por obedecer ao seu chamamento e lançamo-nos nessa espécie de abismo, indiferentes ao resultado da queda.

 

Eu só passei por essa experiência uma vez na vida. A do abismo. A do "coup de foudre". Há muito, muito tempo. Mas não esqueci, apenas "arquivei", como sempre faço com os momentos da minha vida que, embora chegados ao fim, me proporcionaram algo de bom, me enriqueceram enquanto ser humano.

Os maus momentos, esses... não têm direito a "arquivo". São incinerados e diluem-se no mais profundo dos esquecimentos.

 

Era noite. No ar pairavam vozes que se cruzavam numa troca de frases e de diálogos, desprovidos de nexo e aos quais eu me mantinha imune.

Todos os meus sentidos tinham sido absorvidos por notas musicais, saídas de uma viola desconhecida e das mãos de um estranho.

 

Nunca o soube. Nunca lho confessei. Não com estas palavras. Nem com quaisquer outras...

 

(Mark Knopfler & Eric Clapton - Layla)

 

publicado por Teia d´Aranha às 22:53 | Comentar | Ver comentários (27)
Sábado, 17.01.09

Será que me limpam o sebo...

 

... se eu não responder aos desafios em atraso?

 

Também são só quatro... Não é caso para tanto, pois não?

 

Eu até vos desafiava a deixarem de desafiar. Cada um de nós pegaria apenas naqueles de que gostasse e pronto, "tava" feito!

 

Não?! Ok! Limpem-me o sebo, então...

 

 

publicado por Teia d´Aranha às 20:51 | Comentar | Ver comentários (18)
Quinta-feira, 15.01.09

Neste mesmo dia e quase à mesma hora...

 

... mas há um ano, foi assim.  

 

E não é que, contra todas as (minhas) expectativas, ainda aqui ando?!

 

Feitas as contas, assim  por alto, este primeiro ano de "blogadeira" até teve um saldo bastante positivo: foram escrevinhados 136 posts, recebidos 1837 comentários e dadas outras tantas respostas. Digam lá se não sou uma "gaija" dedicada? Se não vos tenho tratado bem? Fui ainda brindada com três destaques do SAPO e um da Prova Oral, da Antena 3 (Esta é a parte em que o meu narcisismo e egocentrismo metem nojo até aos cães...).

 

Mas os pontos altos deste ano do blog foram, sem qualquer margem para dúvida, quando fui aconselhada a procurar ajuda psiquiátrica e acusada de atentar contra a criação intelectual. Haja emoção e pessoas que se preocupem connosco!

 

Estou em pulgas para saber o que me reserva o próximo ano, caso a minha insanidade mental  e falta de meias para coser me permitam continuar por estes lados!

 

 (The Click Five - Happy Birthday)

 

 

publicado por Teia d´Aranha às 22:35 | Comentar | Ver comentários (34)
Terça-feira, 13.01.09

Sou danada p'ás limpezas!

 

Não é que seja obcecada, mas gosto de ordem cá em casa, do cheiro a limpo e a lavado. Declaro guerra ao pó, ao cotão, aos ácaros e a tudo quanto possa transformar o meu canto num chiqueiro! Teia d'aranha... só mesmo no blog!

 

E gosto de espaço. Incomodam-me as casas repletas de móveis que apenas marcam presença, de coisas que não são usadas e se tornam inúteis, de gavetas a abarrotar de objectos sem qualquer apego afectivo, de papéis e de roupa que se guarda só por guardar.

 

Mas há quem não compreenda este meu gosto pela limpeza, sobretudo quando o transponho para as minhas relações pessoais. Já houve quem se sentisse muito ofendido quando, passado mais de um ano, me ligou e eu perguntei quem era... "Epá, tu não me digas que já não tinhas o meu número! Não esperava isso de ti!" (Azar, meu "amigo"! Se me conhecesses bem... saberias que é perfeitamente normal que o teu número já tenha ido para o c*ralhinho depois de todo este tempo!)

 

Mas pergunto eu: é assim tão estranho eu não ter 568 contactos no msn? Guardar no meu telemóvel apenas os contactos estritamente necessários? Não aceitar convites de "amizade" de gente que nunca vi mais gorda nem mais magra?

 

Pois é... eu tenho esta execrável mania de apagar, de excluir todos os contactos que acabam por não o ser, já que nada (mais) nos une, e que se transformam numa mera lista de nomes. 

 

E lista por lista já temos a telefónica ou mesmo as Páginas Amarelas.

 

 (The Offspring - Gone Away)

 

publicado por Teia d´Aranha às 15:40 | Comentar | Ver comentários (18)
Sexta-feira, 09.01.09

Dúvidas que me tiram o sono e me fazem roer as unhas dos pés (ep.3)

 

Janeiro de 2009.

 

O meu tio D. acaba de descobrir as maravilhosas potencialidades do MSN e está a tornar-se um ferveroso utilizador.

 

O tio D. acaba também de completar... 64 anos.

 

Devo recear que ele se meta agora por maus caminhos? Que crie a sua página de hi5 ou mesmo um blog? Que descubra as drogas e o álcool? Que se rodeie de más companhias? Que se ponha a assediar as "miúdas" dos lares ou dos centros de dia?

 

De qualquer forma e como medida de precaução, já aconselhei a minha tia a  esconder, lá em casa, tudo o que fôr tabaco, bebidas estimulantes e que não o deixe ver a novela "Rebelde Way"...

 

É que delinquentes na minha família, nem pensar!

 

 

publicado por Teia d´Aranha às 10:10 | Comentar | Ver comentários (28)
Domingo, 04.01.09

Vamos lá ver se nos entendemos...

 

Há lá melhor forma de iniciar o ano, aqui, do que um post que serve para pôr uma coisinha ou outra em pratos limpos? Há, claro que há! Mas não me apetece falar delas... Até porque é domingo, até porque faz sol e até porque tenho mais o que fazer do que cogitar sobre assuntos demasiado profundos...

 

No entanto, devido a um episódio recente e em jeito de a-ver-se-me-faço-entender-de-uma-vez-por-todas, queria apenas deixar bem claro que não é o facto de alguém comentar meia dúzia de vezes o meu blog que passa automaticamente a fazer parte do meu grupo de amigos. E essa do "amigo virtual" também não cola porque nem sequer compreendo esse conceito.

Admito que se estabeleça empatia com quem nos comenta, quer pelo facto de nos identificarmos com o que pensa, com a sua forma de ser, de estar, de sentir, mas é preciso muito mais do que isso para que a palavra AMIGO seja a que passa a carimbar essa relação.

Não é pelo facto de me dizerem que gostam do que escrevo, da forma como escrevo, que há muito que lêem o blog e etcetera e tal que vou considerar que está uma amizade cimentada. Eu também aprecio muito o facto da senhora do talho me escolher sempre a carne mais tenra e do senhor da livraria tudo fazer para me arranjar aquele livro de que ando atrás, mas nem por isso desato aos beijinhos ou a chamá-los de amiguinhos, como se já tivessemos sido companheiros de armas ou vivido muita coisa juntos.

Porque ser amigo não se resume a uma troca de palavras ou de galhardetes. Exige mais. Muito mais. Não é uma ocupação de part-time, não é um parque de diversões apenas. Dá trabalho. Ocupa muito tempo. Requer disponibilidade e entrega e não se compadece com intervalos.

Amigo é alguém  que me conhece para além das palavras, que capta o que estou a pensar ou a sentir, mesmo sem as palavras; que conhece os meus medos e inseguranças, os meus anseios e desejos; que sabe do que gosto e o que detesto; que me segura a mão nos maus momentos e que ri comigo nos bons. Mas é também alguém que não se coíbe de me chamar à razão, de me mostrar que posso estar errada, que fui injusta ou cruel. Porque um amigo não é quem diz ámen a tudo o que faço, mas é quem me aceita tal como sou, em toda a minha essência.

Tudo isto se consegue, aqui, na blogosfera? Não acredito nisso, nem por um segundo. Admito que possa ser o ponto de partida para desenvolver laços e até chegar a uma  amizade, mas ultrapassando as "barreiras" do virtual.

Estou quase há um ano nisto dos blogs e olhando para a lista dos links que tenho na barra lateral, verifico que conheço pessoalmente os donos dos três primeiros. Mas apenas a Sô Dona Gaja entrou na minha vidinha (ou eu na dela, já nem sei...) pela mão do blog. Contacto com outros "bloguistas" graças ao msn, onde falamos, disparatamos, nos insultamos, mas sabemos que falta muito para sermos declarados amigos.

Sabemos. Porque somos pessoas maduras, com idéias e valores bem definidos. E conscientes também. Conscientes sobretudo de que a vida está muito para além do entretenimento que um blog proporciona e de meia dúzia de comentários.

 

 

(Ah! Antes que me esqueça... é só para dizer que retirar-me dos "amigos adicionados" dá-me cá um abalo... Basta ir ao meu perfil e ver o quanto me preocupo com  isso...)

  

 (Apocalyptica feat. Adam Gontier - I Don't Care)

 

 

publicado por Teia d´Aranha às 12:48 | Comentar | Ver comentários (59)

2011:

 J F M A M J J A S O N D

2010:

 J F M A M J J A S O N D

2009:

 J F M A M J J A S O N D

2008:

 J F M A M J J A S O N D

 

  • El meu marit i jo vam tenir la sort de tenir un pr...
  • Oláaa, alguém sabe onde se encontram...
  • Pode ser interessante...Para quem gosta e QUER esc...
  • Fiquei triste, admirava mesmo a forma como escrevi...
  • É pena! O que aqui encontrei foi um regalo para os...

subscrever feeds