Quarta-feira, 13.01.10

Há dias em que me sinto um poço de contradições

 

 

 

 

 "I'll give you everything you want
Except the thing that you want..."
 

 

 

 

 

publicado por Teia d´Aranha às 12:24 | Comentar | Ver comentários (2)
Sábado, 02.01.10

Quando o silêncio não é de ouro

 

O ritual cumpriu-se. Não o das doze passas, o da subida para uma cadeira ou o da moedinha na mão. Cumpriu-se o ritual de limpar números de telefone que não passavam disso mesmo: números. Como já dei a entender tantas vezes, não possuo a faceta de coleccionadora. Guardo apenas o que me preenche, o que me completa. E essa mania alastra-se às pessoas também.

Não consigo evitar. E admito que não seja uma qualidade. Que seja até injusto.

 

Há uns dias, tive a prova dessa injustiça. Determinada pessoa enviou-me uma mensagem, após três anos de silêncio, pedindo-me encarecidamente que lhe explicasse a razão do meu desaparecimento e de a ter, por assim dizer, riscado da minha vida sem uma explicação prévia.

Só consegui apresentar um motivo: "foste "vítima" de uma fase da minha vida em que me cansei... Nem sempre sou uma pessoa fácil de entender... ou quase nunca sou". A explicação parece vaga, mas foi totalmente honesta.

 

Esta situação trouxe-me à memória um outro episódio, vivido num dia de Natal: um telefonema do meu 1º namorado, de quem já nada sabia há 8 anos. Era (e é), há muito, um capítulo da minha vida mais do que encerrado.

Ele, segundo me contou, sentiu necessidade de saber o que era feito de mim, como é que eu estava. Tinha tido, pouco tempo antes, um grave acidente que o fez estar hospitalizado e, nesse tempo, fui uma das pessoas que lhe assaltou a memória. Não tendo já o meu contacto e estando eu já a morar noutro local, deu-se ao trabalho de ligar para vários números de pessoas que moravam na minha antiga rua e, assim, conseguiu o contacto de um familiar meu e, por conseguinte, chegar a mim.

 

Nem sempre sabemos o quão importantes somos ou fomos para determinadas pessoas até que elas nos digam. Nem sempre o silêncio e a distância nos afastam, mas fazem-nos, frequentemente, duvidar do lugar que possamos ocupar na vida dos outros. Nem sempre o silêncio é de ouro. O silêncio é bem-vindo quando interrompido por gestos e por palavras. O silêncio prolongado arrefece sentimentos e apaga lembranças. E, um belo dia, quando nos lembramos de o quebrar ou  quando tentamos preenchê-lo ou até apagá-lo... pode já ser  tarde demais.

 

Esta é uma lição que eu própria tenho de aprender: a de que não devo afastar as pessoas da minha vida sem antes procurar saber o estrago que essa atitude poderá provocar. E, caso esse afastamento seja inevitável, ter pelo menos a decência de o explicar.

 

Não esquecer também que quando gostamos de alguém, seja de quem for, há que dizê-lo, há que demonstrá-lo, pois o dom de ver o que está encerrado dentro das pessoas... só Blimunda o possuía e, que eu saiba, não passa de uma personagem criada por Saramago.

 

 

 

publicado por Teia d´Aranha às 19:08 | Comentar | Ver comentários (18)
Quinta-feira, 17.12.09

Neste momento dava-me tanto jeito ter alguém que...

 

... me fizesse uma limpeza à casa ( e nem precisaria de lavar paredes nem tectos!);

... me passasse uma tonelada de roupa (e nem precisaria de vincar calças que é coisa que dispenso!);

... me arrumasse a garagem (bastaria dar um rumo à tralha que está por lá espalhada... uns 20 caixotes tamanho camião TIR devem ser suficientes);

... fìzesse umas compritas no supermercado (as prateleiras da despensa e o frigorifico estão literalmente vazios. Ah... mentira! Há por lá uma caixa de ovos e um limão!);

... fosse, por mim, à cabeleireira (sim... isto já nem é cabelo. É uma esfregona!);

... me marcasse umas consultas médicas que venho adiando há meses... ou anos. Já nem sei...;

... me levasse o carro à revisão e, logo a seguir, à inspecção;

... me fizesse algumas compras de Natal ( se for pedir muito, basta comprar a minha!);

... me cozinhasse umas coisas e as pusesse no congelador (umas vinte refeições devem chegar...);

... me garantisse que nos próximos dias eu poderia dormir mais de 5 horas...

 

Se desse lado houver alguém suficientemente generoso para me fazer todos estes favorzitos, sou gaja para pagar um jantar... desde que seja depois do Natal e que não se importe de comer uma daquelas iguarias que uns rapazitos, montados numa motoreta, trazem a casa das pessoas...

 

Agora, dêem-me licença que tenho ainda umas três horas de trabalho pela frente...

 

 

 

publicado por Teia d´Aranha às 00:27 | Comentar | Ver comentários (12)
Sábado, 28.11.09

Quid pro quo...

 

Sendo este blog de uma "gaija", sei que até me ficaria bem falar das minhas experiências culinárias de sábado, da ida ao cabeleireiro, das lojas percorridas à procura de roupa muito "fashion"  e de adereços... e mais uma data que coisas a atirar para o "fofinho"... Só que se o fizesse, seria uma valente peta! Porque, à excepção das beringelas recheadas que me aventurei a fazer ( e que ficaram deliciosas, só para que conste!), tudo o resto é algo que me recuso a fazer ao fim-de-semana, sobretudo atrever-me a mergulhar em lojas a abarrotar de gajas que experimentam tudo o que serve e não serve! Além disso, para quê preocupar-me com trapos, se hoje só preciso do meu cachecol verde e onde pode ler-se SCP?

 

O post de hoje não traz, por isso, dicas de moda ou de maquilhagem, mas traz uma ideia completamente roubada daqui, que, por sua vez, também já a surripiou de um outro blog.

 

 

A ideia consiste em lançar-vos um desafio:

o de me colocarem uma pergunta qualquer que vos passe pela mona, mesmo que a achem "indiscreta".

 

 

Aviso que todas as perguntas obterão resposta. Preparem-se é para ela!

Quem se chega à frente? Quem é o/a destemido/a?

 

 

 

 

publicado por Teia d´Aranha às 19:30 | Comentar | Ver comentários (46)
Quarta-feira, 18.11.09

Onde eu me fui meter...

 

18 de Novembro, 14h10m.

 

Chego ao meu local de trabalho e sou "assaltada" por dois colegas que, escondidos atrás de um armário, chamam por mim, gesticulando desesperadamente e sussurrando "estamos roucos!". Achei aquilo deveras estranho, mas lá fui eu, intrigada e de sobrolho franzido. Subitamente, um deles abre o armário, saca de um pequeno copo de plástico,  de uma garrafa e vai de me dar um belo "cálice" de jeropiga. Estava explicada a "rouquidão" e a "camuflagem" atrás do armário... É que álcool e trabalho, normalmente, não combinam.

 

Mal tinha eu acabado de emborcar a pinga, vem uma outra colega, de bolachinha de água e sal em riste com 3 quilos de doce de abóbora com nozes em cima, e "Teia, já provaste isto? Tá bom que se farta!" e vai de me espetar aquilo na boca sem sequer me dar tempo de recusar!

 

Depois deste episódio, passei o resto do dia a tentar sondar se, por acaso, ando com ar de quem está com uma desidratação ou desnutrição em último grau.

 

 

 

Agora, até tremo só de pensar que, amanhã, ao chegar lá, corro o risco de me enfiarem um leitão ou um arroz de cabidela pelas goelas abaixo , acompanhado de um garrafão de palhete...

 

 

 

 

publicado por Teia d´Aranha às 20:41 | Comentar | Ver comentários (16)
Sexta-feira, 13.11.09

E numa sexta-feira 13...

 

... alguém acabou de colocar nas minhas mãozinhas... 500 euros (sim, são mesmo quinhentos!) para eu comprar o meu presente de Natal.

 

 

Só me falta decidir em que os hei-de gastar...

 

 

 

publicado por Teia d´Aranha às 22:33 | Comentar | Ver comentários (35)
Sexta-feira, 06.11.09

Coisas da minha vidinha...

 

Apesar da minha fama de bicho do mato e da altivez que me atribuem, eu sou daquelas criaturas que gosta de dizer um sonoro "bom dia!". Tão sonoro que, lá no meu local de trabalho, me perguntam o que é que eu tomo de manhã para andar tão "speedada". Ou seja, eu sou daquelas que acha que cumprimentar  é o mínimo da boa educação. Mas nem sempre os nossos gesto de simpatia recebem troco, como se a surdez e a cegueira tomassem conta dos que cumprimentamos ou daqueles a quem cedemos passagem num fila de trânsito, por exemplo.

 

 

Mas hoje passou-se algo que, por já não ser habitual, me surpreendeu positivamente. Estava eu na caixa multibanco para liquidar uns pagamentos e, quando o faço, incomoda-me que alguém, que apenas deseja levantar dinheiro, seja obrigado a esperar uma eternidade.  E como já senti na pele a prolongadíssima seca, imposta por quem parece que vai fazer os pagamentos do bairro inteiro, dei a minha vez  às duas pessoas que lá se encontravam. Já o fiz outras vezes e já me arrependi outras tantas, por nem um simples "obrigado" me ter sido dirigido.

Hoje, para além desse "obrigado", tive direito a um "boa noite!", acrescido de um simpático "bom fim-de-semana!".

 

Não sei se era de mim, mas pareceu-me que, esta sexta-feira, a simpatia andava à rédea solta...E nem a chuva lhe cortou as asas.

 

 

 

 

 

publicado por Teia d´Aranha às 23:56 | Comentar | Ver comentários (4)
Sexta-feira, 16.10.09

Estava aqui a pensar que...

 

 

Mas depois do fim-de-semana... talvez seja.

 

   

publicado por Teia d´Aranha às 16:40 | Comentar | Ver comentários (20)
Quinta-feira, 17.09.09

Até um dia...

 

Por motivos de diversa ordem, este blog não será actualizado durante algum tempo. Não sei dizer quanto. Sei apenas que preciso fazê-lo. Talvez volte um dia. Talvez não. Seja como fôr, obrigada a todos. Por tudo.

 

Um beijo.

 

 

publicado por Teia d´Aranha às 16:59 | Comentar | Ver comentários (30)
Segunda-feira, 14.09.09

Eu queria ser como o Liedson

 

Entrar em campo e resolver o jogo. Sem fazer falta. Sem levar cartão. E com a sensação de que fiz o meu melhor.

 

 

publicado por Teia d´Aranha às 20:33 | Comentar | Ver comentários (18)

2011:

 J F M A M J J A S O N D

2010:

 J F M A M J J A S O N D

2009:

 J F M A M J J A S O N D

2008:

 J F M A M J J A S O N D

 

  • E que tal ter tomates para dizer o que vai vem e o...
  • El meu marit i jo vam tenir la sort de tenir un pr...
  • Oláaa, alguém sabe onde se encontram...
  • Pode ser interessante...Para quem gosta e QUER esc...
  • Fiquei triste, admirava mesmo a forma como escrevi...

subscrever feeds