Segunda-feira, 29.12.08

Que me caia já um raio na tola se eu falar no "Revelhão"!

 

É tão lixadinho estar com um formigueiro do caraças nos dedos, mortinha por escrever, por produzir aquele que muito provavelmente será o derradeiro post de 2008 e depois, quando sento o rabo na cadeira e ponho as manápulas no teclado, o que é que acontece? Nada! Népia! Nicles batatóides! Não há assunto!

 

Ainda pensei em dizer cobras e lagartos sobre a Passagem de Ano (ou Réveillon para dar um toque de chic!), sobre a piada que acho às listas que se fazem por aí, cheias de desejos e de planos para o ano que se avizinha, sobre o dinheirão que se gasta só para festejar aquilo que mais não é do que a transição de um dia para outro. Pensei... pensei mesmo.

Tudo bem... Já sei que este ano até vamos ter um segundo a mais devido aos caprichos da rotação da Terra e o diabo a sete, mas daí a ser motivo para engolir passas de uva como se fosse a maior das iguarias, para abrir garrafas de Champomi ou de Asti umas atrás das outras e para beijar tudo quanto é bochecha (ou beiças)... vai uma grande distância!

Pensei mesmo em escrever sobre estas tretas todas, mas depois não me apeteceu ouvir "Pronto, lá estás tu com o teu feitio do caralhinho! Não achas piada ao Natal, à Passagem de Ano... a nada!"  

 

(E mal sabem que odeio o Carnaval! Mas mais tarde, lá para Fevereiro, falamos...)

 

Não se trata de não achar piada, trata-se de não me apetecer, por exemplo, embarcar em certos rituais só por que sim. Por que raio não hei-de eu trocar as passas de uva por tremoços ou azeitonas? O Asti por uma cervejola ou um Bongo?

 

E depois há os desejos... Um por cada bago de uva mirrada, ou seja, doze!!! Mas quem é que tem assim tanto desejo para formular num tão curto espaço de tempo?! Quem é que se lembra de todos eles depois?! Não brinquem comigo!!! Aposto a colcha de renda da minha bisavó em como a maioria do pessoal, passados uns minutos, não se recorda nem de metade. Quanto mais de doze!

 

E os destinos? Hoje, os serviços noticiosos davam conta que as paragens mais calientes (Brasil, Cabo Verde...) continuam nas preferências dos Portugueses, mas o Allgarve e a Madeira ainda dão cartas. Só uma dúvida: não era suposto estarmos em crise? Recessão económica, contenção de despesas... não vos diz nada?

 

Quanto à minha pessoa, das duas... uma: ou opto por uma Passagem de Ano sem atropelos nem chavascal e, nesse caso, deito-me aí por volta das 22h que é para não ter de levar com os foguetes e morteiros... ou, então, escolho um programa com mais emoção, mais adrenalina e mais exotismo e vou para o Bairro do Cerco.

Mas decido no próprio dia. Hoje, não. É que ainda estou aqui numa ginástica mental tremenda em busca de tema para o post...

 

 

publicado por Teia d´Aranha às 23:57 | Comentar | Ver comentários (44)
Terça-feira, 29.04.08

Momentos...

  

Procurámo-nos... dispensámos quase os olhares ou as palavras... apenas nos procurámos...

 

 

Fiz uso dos meus sentido e tacteei-te levemente, procurando reconhecer as tuas formas, encostei-me a ti para absorver o teu cheiro e apoderar-me do teu calor...

 

 

O desejo de te sentir tomou conta de mim e, sem pensar em absolutamente mais nada, sem interrogar... deixei-me levar...

 

 

Despi-me de tudo, permiti que as minhas defesas se metamorfoseassem em entrega, num momento que procurámos eternizar até onde fosse a nossa vontade...

 

 

 

Moldámo-nos um ao outro, num encaixe perfeito, numa sintonia ímpar...

 

 

Antes de adormecer, fixei-te, puxei-te para mim e desejei que quando eu acordasse... ainda ali estivesses... 

  

 

(Obrigada, almofada, por mais estes momentos! A minha falta de inspiração dá-me para isto... Retomarei o meu estado normal assim que fôr possível) 

 

 

 (Pedro Abrunhosa - Algarve)

 

P.S.: Eu sei... desta vez não contextualizei a música. Mas apetece-me que seja esta!

 

 

Sinto-me: just fine!
publicado por Teia d´Aranha às 16:10 | Comentar | Ver comentários (30)
Quinta-feira, 27.03.08

Não se aceitam encomendas

Ontem, do outro lado do Atlântico, pediram-me que escrevesse sobre... DESEJO... Não disse nem que sim, nem que não... disse que ia pensar no assunto.

A minha indecisão teve a ver, fundamentalmente, com a temática. É que "Desejo" é um conceito tão vasto! Pode ser analisado e discutido de todas as maneiras e feitios! Não é que  eu não consiga escrever sobre o assunto, mas estou certa que acabaria por abordá-lo de forma muito pouco cristã e isso poderia ferir susceptibilidades de almas mais regradas...

De qualquer forma, avaliei o pedido e cheguei a uma conclusão: não consigo escrever assim com orientações, com tema imposto, por "encomenda". É como se me dissessem: "Epá, faz-me aí um dúzia de rissóis, duas de croquettes  e uns pastelinhos de bacalhau!"

 

 (Não pensem que me dedico a confeccionar e a vender salgadinhos... mas se quiserem umas "quiches"... é uma questão de conversarmos...  Também alugo sala para despedidas de solteiro/a,  casamentos, baptizados, divórcios, conferências e reuniões daqueles produtos que fazem emagrecer. Indiquem, por favor,  se  querem conjunto de baile ou organista)

 

(Limp Bizkit - My Way)

 

Sinto-me: "escritora" independente
publicado por Teia d´Aranha às 17:28 | Comentar | Ver comentários (18)
Quinta-feira, 28.02.08

Asas

 

 

Voo sem rumo… sem destino…sem ponto de chegada…

Deixo-me simplesmente levar pelas minhas asas.

 

A minha pequenez ganha ainda mais expressão perante a imensidão do espaço onde me perco…

 

Sobrevoo o mundo com sofreguidão, querendo abarcar de uma só vez o sonho e o desejo, o concreto e o palpável…

Nessa minha vontade, a ténue linha entre a fantasia e o real dilui-se e faz brotar em mim a força de que precisava para não cair no vazio…

 

 

Mas o cansaço do meu voo força-me a parar…

 

 

 

Chamas por mim…

 

Pedes que me livre das asas e me aninhe em ti… Pedido feito de forma quase suplicante a que atendo… porque é essa também a minha vontade e desejo.

 

Arrumo as minhas asas … e, na forma cuidadosa  e delicada como o faço, percebes que elas só descansarão… até que me  apeteça voltar a voar…  

 

 

(Creed - Last Breathe)

 

 

Sinto-me: como um pássaro
publicado por Teia d´Aranha às 22:19 | Comentar | Ver comentários (16)

2011:

 J F M A M J J A S O N D

2010:

 J F M A M J J A S O N D

2009:

 J F M A M J J A S O N D

2008:

 J F M A M J J A S O N D

 

  • El meu marit i jo vam tenir la sort de tenir un pr...
  • Oláaa, alguém sabe onde se encontram...
  • Pode ser interessante...Para quem gosta e QUER esc...
  • Fiquei triste, admirava mesmo a forma como escrevi...
  • É pena! O que aqui encontrei foi um regalo para os...

subscrever feeds