Quarta-feira, 14.10.09

O que muitos homens sabem, mas poucos admitem

 

"Só quando os homens chegam a uma certa idade é que podem dizer com certeza que as mulheres são melhores do que eles em tudo - mesmo na bola, a carregar pianos, a lutar com jacarés ou nas outras coisas em que ganhávamos quando éramos mais novos e brutos e fortes.
Quando se é adolescente, desconfia-se que elas são melhores. Nos vintes, fica-se com a certeza. Nos trintas, aprende-se a disfarçar. Nos quarentas, ganha-se juízo e desiste-se. Nos cinquentas, começa-se a dar graças a Deus que seja assim. Os homens que discordam são os que não foram capazes de aprender com as mulheres (por exemplo, a serem homenzinhos), por medo ou vaidade ou estupidez. Geralmente as três coisas.
Desde pequenino, habituei-me que havia sempre pelo menos uma mulher melhor do que eu. Começou logo com a minha linda e maravilhosa mãe, cuja superioridade - que condescendia, por amor, em esconder de vez em quando - tem vindo a revelar-se cada vez mais. As mulheres são melhores e estão fartas de sabê-lo. Mas, como os gatos, sabem que ganham em esconder a superioridade. Os desgraçados dos cães, tal como os homens, são tão inseguros e sedentos de aprovação que se deixam treinar. Resultado: fartam-se de trabalhar e de fazer figuras tristes, nas casas e nas caças e nos circos. Os gatos, sendo muito mais inteligentes, acrobatas e jeitosos, sabem muito bem que o exibicionismo vão leva à escravatura vil.
Isto não é conversa de engate. É até um tira-tesões. Mas é a verdade. E é bonita.
"

 

08.03.2009, Miguel Esteves Cardoso

 

 

publicado por Teia d´Aranha às 01:07 | Comentar | Ver comentários (10)
Domingo, 07.06.09

Homens, abram a pestana!

 

No post anterior, dois comentadores (homens, portanto) insinuaram que eu teria tido a preocupação e o cuidado de ir à pedicure antes de tirar a foto. Essa observação ( e outras que já ouvi, provenientes do sexo masculino) obrigam-me aqui a fazer um pequeno esclarecimento, pois parece-me que alguns homens, por distracção ou desconhecimento, não se aperceberam ainda que a postura das mulheres em relação à sua aparência tem sofrido (e ainda bem) algumas alterações.

É verdade que,  e não há tanto tempo assim, muitas mulheres se arranjavam para agradar ao namorado, ao companheiro, ao amante... ao "gaijo", em resumo. E não é menos verdade que, uma vez conquistado o macho, esse cuidado com a sua aparência ia diminuindo gradualmente até, em inúmeros casos, acabar no desleixo total. E era vê-las envergando uma bata ou um fato treino comprado num hipermercado, uma roupa interior mal amanhada, rolos na cabeça e pantufas encardidas e gastas... Quero (muito) acreditar que esta imagem, fonte de muitos casamentos arruinados, esteja já em vias de extinção.

 

Hoje, caros amigos, a maioria do mulherio não vai ao cabeleireiro, à manicure, à pedicure, ao dentista; não tenta comprar roupas e adereços que a favoreçam; não vai ao ginásio ou faz dieta com o objectivo de, em primeira instância, vos agradar. E muito menos vai à depilação apenas quando surge no horizonte a promessa de uma noite de sexo escaldante! Sei que até gostariam de acreditar piamente que elas o fazem por vós porque isso vos alimentaria o ego e vos colocaria no pedestal de todos os desejos e atenções, mas... acordem!

Actualmente, as mulheres que se tratam, que se mimam, que se cuidam... fazem-no principalmente por ELAS! Para se sentirem bem com o seu corpo, para elevarem a sua auto-estima, para se valorizarem... É óbvio que se essa sua imagem agradar a quem as rodeia, tanto melhor! Mas a prioridade não são os outros... é ELA!

 

É apenas a minha opinião e, por isso, vale o que vale... Mas desconfio que não estou isolada e que muitas mulheres partilham dela.

 

Agora, permitam que me ausente. Tenho um banho à minha espera, uma esfoliação para fazer e uns cremes para passar no corpo...

 

 

 

 

publicado por Teia d´Aranha às 23:25 | Comentar | Ver comentários (22)
Quarta-feira, 15.04.09

"Anita na praia"... que belo título seria! Caso eu me chamasse Anita...

 

Eu sou uma "gaija" com a mania. A verdade, nua e crua, é essa.

 

Com a mania que tenho jeito para (quase) tudo: mania que sei escrever, mania que tenho bom gosto musical, mania que sou a melhor amiga do mundo, mania que faço o melhor bacalhau com natas do prédio (ou do meu andar, vá... que um bocadinho de modéstia também não me fica nada mal), mania que conduzo melhor do que a Elisabete Jacinto (mesmo não sendo eu patrocinada pelo Trifene 200), mania que sou perspicaz e inteligente como tudo, mania que tenho um corpo que só não foi capa da Playboy tuga porque o tamanho do meu cabelo ainda não dá para tapar as mamas, mania que tenho um sentido de humor e um sarcasmo que só as mentes mais iluminadas conseguem captar... Enfim, a lista seria interminável, caso eu tivesse tempo e caso não tivesse ainda de me ir enfiar com urgência na cozinha para fazer uma panelinha de sopa que, para além do bacalhau com natas, é uma das outras iguarias que faço como ninguém.

 

Mas toda esta merda nota introdutória serviu para quê? Serviu para eu vos revelar uma das minha últimas manias, ou seja, a de que sei fotografar, a de que tenho um talento inato para, com uma objectiva, captar aquilo que o comum dos mortais não consegue.

Só que, neste campo, é pura mania mesmo, uma  vez que o meu talento se resume a carregar no botãozinho que imortalizará esta ou aquela imagem. Porque a verdade verdadinha... é que não percebo a ponta d'um chavelho, embora gostasse (e muito) de dominar todas as técnicas e de ter a capacidade de tirar fotos como as que vêm na revista  National Geographic, mesmo que isso implicasse enfiar-me no Botswana à coca de um elefante albino!

 

E foi o que fiz no passado fim-de-semana. Não mergulhei na savana africana, mas desci à praia e, como paleca* que sou, andei de máquina em punho para poder, hoje, partilhar convosco esses momentos e ser, posteriormente, alvo de chacota... Por isso, estais à vontade!

 

(*paleco: nome que os nazarenos dão a quem não nasceu na Nazaré)

 

 

 

A imagem não deixa margem para dúvidas... É verdade, fui passar a Páscoa às Galápagos! Só não dá para ver as tartarugas porque estavam todas a dar banho à carapaça e, mesmo em ritmo acelerado, já não chegaram a tempo de ficar na fotografia. E eu também tenho a mania que não sou "gaija" para ficar à espera...

 

 Apesar das formas fálicas... não... isto não é nas Caldas da Rainha...

 

A praça dos cafés, um dos locais onde as nazarenas se dedicam a um novo desporto que consiste (se é que eu percebi alguma coisa...) em acertar num caixote (que se vê muito mal, ao fundo) com uma bola semelhante às de ténis... Estas mulheres não param de me surpreender!

 

Quando ia eu já lançada para me deitar, pensando que esta era a zona onde um moço de corpo bronzeado e atlético me iria dar uma daquelas massagens de pôr os meus pelinho todos em pé, eis que vejo a placa que me desfez os sonhos... De falta de sinalização e informação, ninguém se poderá queixar!

 

Há quem exponha, sem qualquer pudor, as suas intimidades... mas isso não significa que as misture com as dos demais... Numa corda a lingerie dela, noutra o cuequedo dele.

 

A Naza(ré), vista da Pederneira.

Eu estou algures, no areal, envergando um minúsculo fio dental. Não dá para ver?! Que azar, pá!

 

Há paisagens que já nos surgem emolduradas...

 

Acabei por ter sorte... Não encontrei o tal elefante albino (talvez tivesse ido comprar uns carapaus enjoados), mas aparecereram umas gaivotas que nem se importaram de fazer pose...

 

E pronto, foi isto... o meu fim-de-semana pascal, sem coelhinho nem ovinhos e (quase) monocromático.

 

  

publicado por Teia d´Aranha às 14:50 | Comentar | Ver comentários (38)
Terça-feira, 24.02.09

E porque este blog é um acérrimo defensor das tradições...

 

Tantas vozes que se erguem para defender os touros de Barrancos, as desfolhadas, a couve lombarda, as vacas mirandesas e barrosãs, os caretos de Pondence, a arte xávega, o grupo Pedrinhas de Arronches, as marafonas de Monsanto e não sei que mais... e eu pergunto: por que raio ainda não surgiu um movimento "Pró Carnaval de Roma"? Isso é que era!

Depois não venham cá argumentar que as tradições se perdem e que as gerações vindouras não beneficiarão de qualquer  legado cultural e mais uns quantos lamentos. Estou só a avisar e a tentar despertar consciências antes que seja tarde demais...

 

"As comemorações, que incluíam bacanais, eram realizadas em Roma entre os meses de Novembro e Dezembro. Na ocasião, ainda segundo os relatos e pesquisas, havia uma aparente quebra de hierarquia social, quando todos se misturavam na praça pública. A separação da sociedade em classes fazia com que houvesse a necessidade de válvulas de escape, através de sexo e bebida.

Os festejos eram de tal importância que tribunais e escolas fechavam as portas durante o evento, escravos eram alforriados e as pessoas saíam às ruas para dançar. Corridas de cavalo, desfiles de carros alegóricos, brigas de papelinhos, corridas de corcundas, lançamentos de ovos e outros divertimentos generalizavam a euforia. Na abertura dessas festas ao deus Saturno, carros com aparência de navios surgiam na "avenida", com homens e mulheres nus. Estes eram chamados os carrum navalis, para muitos a origem da expressão «carnevale»"

 

 

publicado por Teia d´Aranha às 12:07 | Comentar | Ver comentários (18)
Sábado, 07.02.09

Vamos lá dar uma mãozinha!

 

Meninas, miúdas, mulherio e "gaijas" em geral, recebi, por mail, este pedido e, como diz o povo "temos de ser uns para os outros", resolvi divulgá-lo e pedir a vossa colaboração. Não custa nada e é indolor, prometo! Ou será que falar de sexo ainda é tabu? 

 

 

"Não sei se está recordada de mim, trocámos algumas mensagens a quando do assunto Maleta Vermelha, está recordada?
Deixei o projecto Maleta Vermelha em Agosto e encontro-me agora em fase de investigação para terminar o mestrado em sexologia, pelo que tomo a liberdade de pedir a sua ajuda na divulgação do mesmo.
Espero que me possa ajudar, preciso de aproximadamente 2000 participações femininas.

OBRIGADA pela atenção.


Vania Beliz

www.belizsexologia.blogspot.com"

 

 

Estudo sobre Estilos de Masturbação Feminina
e Orgasmo Feminino durante o Coito

 

Finalmente comecei o meu trabalho de investigação para a conclusão do mestrado.
Quando me debrucei sobre a escolha do tema, temi as dificuldades tendo em conta o facto da MASTURBAÇÃO FEMININA ser ainda um grande tabu.

Apesar de se tratar de um comportamento comum em ambos os sexos, foi desde sempre reprovado e ainda hoje nos questionamos sobre as possíveis consequências desta repressão.

Pretendo com este trabalho perceber a forma como as mulheres se estimulam,tocam, para assim chegarem a relações mais prazerosas.

Na minha prática clinica ouvi muitas mulheres, com dificuldade em lidarem com a sua sexualidade, em procurarem o seu prazer, em conhecerem melhor o seu corpo.

Por ser um tema polémico, não se encontram muitos estudos nesta área e alguns confesso que são um tanto tendenciosos, outros pelo seu valor e rigor científico, abrem portas à descoberta de algo tão íntimo como o comportamento masturbatório.

Não quero ser pretenciosa em relação ao meu estudo, quero apenas permitir-me conhecer melhor as mulheres portuguesas, obter algumas informações que me permitam continuar a ajudar as mulheres na sua busca por mais satisfação e prazer...

Este estudo estará on line e no link:

http://www.recolhadedados.com/mf/mfpage00.aspx

 

para que todas as mulheres maiores de 18 anos possam participar de forma anónima.

 

DIVULGEM POR FAVOR AOS VOSSOS CONTACTOS FEMININOS

 

NOTA IMPORTANTE:

Se algum indivíduo dos sexo masculino tiver interesse em conhecer o conteúdo do estudo, enviarei com todo o prazer o documento em formato Word, uma vez que a visualização do questionário no link contabiliza os resultados o que deturpará os resultados de investigação.

 

Alguma dúvida ou dificuldade em aceder ao link informem-me por favor: vaniam@portugalmail.com

 

 

publicado por Teia d´Aranha às 23:33 | Comentar | Ver comentários (16)
Domingo, 07.12.08

Romeu... procura-se

 

Há, por parte da maioria dos homens, a idéia de que as mulheres, quando se juntam, falam de assuntos tão importantes como: penteados, roupas, sapatos, e... homens. E que algumas, para se armarem em espertas, também falam de economia, sobretudo em época de saldos...

 

Há, por parte da maioria das mulheres, a idéia de que os homens, quando se juntam, falam de assuntos tão importantes como cerveja, carros, futebol e... mulheres. E que alguns, para se armarem em espertos, também tentam dizer duas ou três frases que tenham, nem que seja ligeiramente, a ver com política.

 

Ponto em comum? Falarem do sexo oposto.

Mas será que abordam o "assunto" e expõem os sentimentos da mesma forma?

 

Armei-me em Fátima Campos Ferreira e resolvi colocar a questão às duas partes. E veio a confirmação às minhas suspeitas.

As mulheres gostam de falar do que lhes vai no coração, mas para confidências mais íntimas procuram a melhor amiga, a quem dizem o que sentem, o que receiam, o que anseiam; a quem colocam dúvidas e pedem conselhos. A quem chegam a falar da paixão e do amor que sentem por aquele que lhes dá aquele friozinho na barriga. E do corpo. Não vou mentir. Também falamos do corpo. Mas com uma escolha cuidada do vocabulário e sem entrarmos em detalhes.

 

Os homens também falam do que sentem, mas sobretudo do que sentem quando olham para o rabo ou para as mamas da "gaija" que lhes serve o almoço no restaurante, lá perto do local de trabalho. Ou do fogo que sentem a subir-lhes pelo corpo quando vão no elevador com a boazona do prédio. Agora falar de paixão, de amor?! Estás parvinha ou quê?! A maioria acha que abordar assuntos desse calibre é coisa para "gaijos" pouco machos, coisa de "florzinha". Uma mariquice. Ou seja, eles até sentem, mas não falam porque alimentam a idéia peregrina de que virilidade e expressão de sentimentos não combinam, pura e simplesmente não se misturam.

 

Por que desapareceram os "Romeus"?

 

 

Aproveito também este post para responder ao desafio do Sapo Blogs que consiste em elegermos aquela que é para nós a melhor canção de amor. Foi extremamente difícil porque poderia dar uma lista quase interminável de músicas, algumas delas já as fui colocando no blog. Mas a de hoje é uma das que me conquista totalmente.

(Dire Straits - Romeo & Juliet)

 

publicado por Teia d´Aranha às 23:57 | Comentar | Ver comentários (35)

2011:

 J F M A M J J A S O N D

2010:

 J F M A M J J A S O N D

2009:

 J F M A M J J A S O N D

2008:

 J F M A M J J A S O N D

 

  • El meu marit i jo vam tenir la sort de tenir un pr...
  • Oláaa, alguém sabe onde se encontram...
  • Pode ser interessante...Para quem gosta e QUER esc...
  • Fiquei triste, admirava mesmo a forma como escrevi...
  • É pena! O que aqui encontrei foi um regalo para os...

subscrever feeds