Futebol, investigação e roulottes

 

Já devem estar a cogitar: " Que porra de título!". Sei que pode parecer desconexo, mas já vos provo que faz todo o sentido.

Volta e meia gosto de passar os olhos nos jornais regionais e, na semana passada, peguei num deles (Jornal de Leiria) e deparei-me com duas notícias fantásticas, embora não surpreendentes e já vão perceber porquê.

 

Uma das notícias tinha como título "Futebol reduz massa cinzenta" e rezava o seguinte: 

 "Um estudo publicado no Clinical Journal of Sports Medicine concluiu que os jogadores de futebol podem apresentar uma pequena redução cerebral... (relacionada com o pensamento e a memória)... o que pode ter a ver com as repetidas batidas na frente da cabeça. Os cientistas alertam que o futebol não é um desporto 100% benéfico".

 

A segunda notícia dava conta de mais um desacato provocado por um jogador de futebol do clube da minha cidade. Ao que parece, o desportista em causa envolveu-se em distúrbios numa discoteca devido ao estado de embriaguez em que se encontrava e foi posto no olho da rua. Não satisfeito com a m**da que já tinha feito, cá fora, "terá batido com um pau no proprietário de uma roulotte de comes e bebes", mas o comerciante não se ficou e também lhe deu nas fuças!

 

Quando terminei de ler os dois artigos, fiquei com uma dúvida: o jogador trocou mimos com o homem da roulotte devido ao défice de massa cinzenta ( e aí terá como alibi os estudos científicos)... ou, porventura, a sandocha de courato e a "mine" não estariam no ponto?

 

Eu não sou de intrigas, mas se querem saber, para mim, o primeiro artigo explica muita coisa... Agora, vou passar a dar alguns descontos quando ouvir os senhores da bola...

 

Como gosto de futebol e de música ( e do Figo! Uuuuiiiiii!!!!), aqui vai:

(Elvis Presley - A Little Less Conversation)

 

Sinto-me: "iluminada" pela ciência
publicado por Teia d´Aranha às 01:17 |