O meu mini-gajo é um grande-gajo

Conversa a caminho de casa, esta semana, depois de mais um dia de aulas:

 

Duarte - Mamã, há uma menina da minha turma que gosta de mim. Veio hoje dizer-mo.

 

Eu (já de orelha em pé e de sobrolho franzido) - Quem é ela, filho?

 

Duarte - É a Andreia, sabes, aquela que já deveria estar no 6º ano...

 

Eu (torcendo o nariz perante a falta de inteligência da candidata a minha nora) -  E o que é que tu respondeste?

 

Duarte - Perguntei-lhe se era só isso que ela tinha para me dizer e depois ela também me perguntou se eu gostava dela.

 

Eu (com o coração nas mãos) - E tu...?

 

Duarte - olha, eu só lhe disse "Não te posso responder que sim"...

 

 

Conclusão: acho que um miúdo de 10 anos pode muito bem dar lições a badamecos homens feitos sobre o que é não ferir os sentimento dos outros.

 

E a fazê-lo com classe.

 

 

publicado por Teia d´Aranha às 15:51 |